167ª Edição - Ano V
De 25 de juho a 29 de julho/2012
 

 
Laboratório de Parasitologia e Biotecnologia
Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento (IP&D) da Univap


 
A Univap possui no Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento (IP&D), Campus Urbanova, o Laboratório de Parasitologia e Biotecnologia sob a coordenação dos doutores Josane Mittmann e Marco Antônio de Oliveira, e que realiza estudos voltados para o tratamento da leishmaniose tegumentar. Essa patologia compreende um grupo de doenças crônicas causadas por diferentes protozoários do gênero Leishmania. Representa um importante problema de saúde pública com cerca de 12 milhões de pessoas infectadas no mundo, segundo estimativas de 2010 da Organização Mundial da Saúde (WHO, 2010), sendo o Brasil o país de maior ocorrência na América Latina.
As pesquisas envolvem a avaliação de compostos fotossensíveis para o uso no tratamento dessa patologia através da terapia fotodinâmica. Esta linha de pesquisa conta com colaboração direta da doutora Maria Angélica Gargione Cardoso, responsável pelo Laboratório de Imunologia e do doutor Milton Beltrame Júnior, do Laboratório de Química Orgânica. Encontrar novos tratamentos é um grande desafio e necessário, já que os tratamentos convencionais geram muitos efeitos colaterais indesejáveis, são caros e muitas cepas de leishmania vêm se tornando resistentes ao glucantime utilizado como tratamento de primeira escolha.

 

Os resultados obtidos pelos pesquisadores e alunos são promissores, tanto que recentemente a aluna de mestrado em Ciências Biológicas Luciana Maria Cortez Marcolino apresentou seus resultados no VI Congresso da Sociedade Paulista de Parasitologia, sendo agraciada com o primeiro lugar na categoria tratamento.
O Laboratório está aberto a novas colaborações e novas iniciativas que possam contribuir para encontrarmos alternativas mais baratas e de custos menores para tratar pessoas afetadas pela leishmaniose tegumentar. Disponibiliza aos pesquisadores, aos alunos de graduação e de mestrado em Ciências Biológicas vários equipamentos, entre eles: Sistema de Eletroforese Horizontal, utilizado para observar DNA; Protótipos para Irradiação de Células; Estufa de Cultura de Células, entre outros.
Além das pesquisas em leishmaniose são realizadas outras voltadas à sexagem molecular e estudos dos cariótipos das aves do Campus Urbanova, em especial da Seriema e daquelas que estão no Criadouro Conservacionista.

Colaborador no levantamento de informações para a reportagem: Rodrigo Ribeiro (Aluno do 4º ano de jornalismo/FCSAC)

Informações: (12) 3947-1160

 

<< Voltar