52ª Edição - Ano II
De 24 a 31 de agosto/2009
 

  Pesquisador da Índia Visita a Univap

 
 
 
No último dia 26 de agosto, o Prof. Dr. P.K. Manoharan, chefe do Rádio- observatório Ooty, do NCRA - National Center of Radio Astronomy da Índia, visitou a Univap, a convite do Prof. Dr. Francisco C. R. Fernandes, do Laboratório de Física e Astronomia, do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento (IP&D) da Univap.
O pesquisador visitante ministrou uma palestra no IP&D, sobre as principais pesquisas e resultados recentes das investigações em física solar e relações solares-terrestres realizadas no Rádio-observatório, que abriga diversos radiotelescópios.
Estiveram presentes pesquisadores, professores e alunos de Iniciação Científica, Mestrado e Doutorado em Física e Astronomia.
O Prof. Manoharan está em São José dos Campos como colaborador no projeto CALLISTO (sigla em inglês para “Compact Astronomical Low-frequency, Low-cost Instrument for Spectroscopy in Transportable Observatories”), um radioespectrógrafo em desenvolvimento no Brasil, numa parceria entre o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e Univap, pela participação do Prof. Francisco, em conjunto também com instituições no exterior.
O instrumento será instalado em Cachoeira Paulista, e vai integrar uma rede mundial de espectrógrafos localizados em diferentes longitudes (o Brasil é o nono país participante). O objetivo do projeto é o monitoramento contínuo da atividade solar em ondas métricas e decimétricas, com observações numa faixa de frequências entre 45 MHz e 870 MHz. Quando em operação, ou seja, em 2010, o CALLISTO-BR será usado principalmente para investigações de explosões solares e ejeções de massa coronal, que liberam grandes quantidades de energia, matéria e partículas do Sol e afetam o ambiente espacial, causando, muitas vezes, tempestades geomagnéticas na Terra. Os dados de todos os espectrógrafos da rede estarão disponíveis aos grupos integrantes do projeto.
A participação da Univap em colaborações científicas desta natureza permitirá ampliar as pesquisas na área de física solar e clima espacial, abrindo também novas possibilidades na formação dos recursos humanos nos níveis de Mestrado e Doutorado.
 
 

<< Voltar