65ª Edição - Ano II
De 23 a 29 de novembro/2009
 

  Verificação da Dosagem de Colesterol
Fique por dentro


 
 
 
A Faculdade de Ciências da Saúde (FCS) da Univap, por intermédio do curso de Enfermagem, realizou este mês de novembro exame rápido de dosagem dos índices de colesterol sanguíneo tanto da equipe de funcionários como dos usuários do Centro de Práticas Supervisionadas (CPS).
Esse trabalho foi realizado com apoio da professora Profª MSc. Ivany Machado de Carvalho Baptista, docente do curso e com apoio da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP – Vale do Paraíba), que doou à Universidade as fitas reagentes “Accutrend Cholesterol” e cedeu, a título de empréstimo, o aparelho “Accutrend GCT” que permite obter os resultados de exames mais rápidos.
As coletas tiveram início dia 16, estendendo-se até o dia 27 de novembro e foram realizadas pelos alunos do 4º ano de graduação do curso de Enfermagem, supervisionados pelos professores João Benício de Almeida e Luciene Reginato Chagas. Também foram registrados o peso, a altura, a pressão arterial, medida da circunferência abdominal e o IMC (Índice de Massa Corporal). Com os resultados desses dados foram oferecidas aos participantes orientações sobre alimentação e práticas de exercícios.


Sobre o colesterol

O Colesterol é um lipídio (gordura) produzido no organismo, fornecido por meio da alimentação e transportado no plasma sanguíneo. Essa gordura é encontrada naturalmente em nosso organismo e fundamental para o seu funcionamento normal. O colesterol é o componente estrutural das membranas celulares em todo nosso corpo e está presente no cérebro, nervos, músculos, pele, fígado, intestinos e coração. Nosso corpo usa o colesterol para produzir vários hormônios, vitamina D e ácidos biliares que ajudam na digestão das gorduras. Setenta por cento do colesterol são fabricados pelo nosso próprio organismo, no fígado, enquanto que os outros 30% vêm da dieta. Existem dois tipos de colesterol no sangue: o LDL colesterol (low density lipoprotein) e o HDL colesterol (high density lipoprotein).

 
O LDL colesterol (low density lipoprotein) também chamado de “mau” colesterol, que promove o depósito da gordura nas paredes das artérias e corresponde a 75% do total do colesterol em circulação. Quanto maior o LDL-C, maior o risco de problemas.
O HDL colesterol (high density lipoprotein), também conhecido como o “bom” colesterol, transporta o colesterol das células para o fígado, eliminando-o pela bile e fezes. Fornece proteção contra a arteriosclerose e, se o seu nível está baixo, o risco de doença cardiovascular aumenta.
O colesterol não é uma doença e sim uma substância importante para a nossa saúde, porque é usada na formação da membrana das células do corpo e de alguns hormônios, além de servir como uma capa protetora para os nervos. No entanto, se em excesso pode causar uma série de problemas, como as doenças cardíacas. A elevação dos níveis de colesterol representa um dos maiores riscos de doenças cardiovasculares.
Sobre o LDL – mau colesterol, sabe-se que em quantidades elevadas ele representa um sério risco para o coração, pois pode ser depositado nas paredes das artérias, formando uma grossa capa de colesterol no interior, causando dano que é conhecido como arteriosclerose.
Nas primeiras etapas dessa doença formam-se pequenos depósitos de gordura chamados "estrias gordurosas". Se as concentrações de colesterol continuam elevadas, os depósitos aumentam de tamanho e tornam-se perigosos, podendo obstruir as artérias e diminuir o fluxo sanguíneo para os órgãos vitais, como o coração, que necessita do oxigênio e dos elementos nutritivos que são levados pelo sangue. Quando isso ocorre, produz-se uma angina de peito, um ataque cardíaco (infarto do miocárdio) ou inclusive a morte.
 
Se você tem um alto nível de HDL ou colesterol bom, isto quer dizer que o seu risco de apresentar problemas cardíacos é mínimo. Isto se deve ao fato de o HDL trabalhar absorvendo a gordura e limpando as artérias, depositando a maior parte do colesterol no fígado, o qual é capaz de quebrar as moléculas de colesterol e eliminá-las do corpo. O tipo de gordura que ingerimos é essencial quando falamos de saúde cardiovascular. Assim, enquanto o consumo de gorduras saturadas pode produzir arteriosclerose, as gorduras boas podem assegurar uma saúde invejável.
As gorduras saturadas, ou más, encontram-se principalmente em alimentos de origem animal, e tendem a ser sólidas à temperatura ambiente. Um exemplo é a gordura branca das carnes vermelhas, os ovos, o leite integral e as gorduras "hidrogenadas".
Já as gorduras insaturadas proveem principalmente dos vegetais e tendem a ser líquidas à temperatura ambiente. Os tipos básicos destas são as poliinsaturadas e as monoinsaturadas, podendo ajudar a diminuir o colesterol sanguíneo. Dentre elas, a mais conhecida é a Omega - 3, que é muito saudável e se encontra abundantemente nos óleos vegetais, aves, mariscos e nos peixes de água fria.


Como saber se há colesterol elevado?

A maioria das pessoas que tem níveis elevados de colesterol não apresenta nenhum sintoma físico que as advirta sobre a presença desse transtorno. Por isto, recomenda-se pedir periodicamente a concentração do colesterol no sangue e seguir as orientações médicas.
Tanto o Ministério, como os médicos especialistas, recomendam diminuir a concentração do colesterol no sangue a níveis de risco moderado ou baixo, seguindo uma dieta pobre em gorduras e em colesterol. Em geral uma dieta pobre em gorduras significa comer menos gorduras saturadas e alimentos ricos em colesterol (como carne, ovos, leite e seus derivados) e comer mais frutas, cereais, verduras e peixes. Uma dieta pobre em gorduras não significa que seja necessário deixar de comer carne, pois existem carnes com menor quantidade de gordura, como peru ou frango sem pele e as carnes magras. Seu médico pode lhe recomendar uma dieta ajustada à suas necessidades específicas.
O colesterol sanguíneo elevado é somente um dos fatores de risco de doença cardiovascular. Outros fatores importantes incluem: pressão arterial elevada, tabagismo, diabetes e antecedentes familiares de infarto do miocárdio, principalmente. Seu médico pode também determinar as concentrações de colesterol apropriadas para você, baseando-se em sua história clínica.
Para garantir boa saúde e um colesterol nos índices adequados tome as seguintes precauções:

- Controle periódico da concentração do colesterol sanguíneo.
- Controle do peso.
- Limitar o consumo de alimentos com níveis elevados de colesterol e gorduras saturadas.
- Realizar exercícios físicos de modo regular.
- Parar de fumar.
- Controlar periodicamente a pressão arterial.
- Diminuir os fatores que produzam angústia e tensão.


(Fonte: FCS/CPS/Univap)
 
 

<< Voltar